Análise Ergonômica do Trabalho (AET): O que é e pra que serve?

Compartilhe este conteúdo:

análise ergonômica do trabalho

A análise ergonômica do trabalho faz parte da NR-17, que visa cuidar e garantir a qualidade de vida no ambiente de trabalho. O objetivo dessa análise é criar uma série de medidas e estratégias que evitam doenças relacionadas ao trabalho.

Entendemos por AET que ela nada mais é do que o estudo do objeto e do local de trabalho, ou seja, uma avaliação completa que busca evitar os riscos causados por má posturas adotadas durante a atividade, falta de iluminação, temperatura inadequada, ventilação insuficiente ou utensílios com tamanhos inapropriados, por exemplo. Em resumo, tudo o que está atrelado ao equilíbrio emocional e físico das pessoas dividindo um espaço de trabalho.

Além das ações preventivas, a análise ergonômica identifica problemas de saúde já existentes no ambiente, criando ações para enfrentar estes problemas o quanto antes.

De acordo com a NR-17, sabemos que:

“Para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, devendo a mesma abordar, no mínimo, as condições de trabalho, conforme estabelecido nesta Norma Regulamentadora.”

Por que devo realizar uma análise ergonômica do trabalho?

Uma das razões principais para a realização da análise ergonômica do trabalho é seu fator obrigatório perante o Ministério do Trabalho. Porém, essa não é a principal razão para você realizar a análise.

Há muitas vantagens ao realizar a análise ergonômica, e a principal delas é a diminuição das doenças ocupacionais.

Essas doenças apresentam uma série de problemas para as empresas, pois trazem acarretam em processos trabalhistas, ausência de funcionários e atrasos no cronograma.

Uma reclamação muito comum de trabalhadores de escritório é a dor nas pernas, que pode ser drasticamente reduzida com o auxílio de um apoio para pés ergonômico, para citar um caso.

Um exemplo comum é uma empresa que não realiza uma análise ergonômica periodicamente e fica à mercê de perder funcionários por doenças ocasionadas no ambiente de trabalho. Esse mesmo funcionário, que se afasta devido à falta de atenção ou cuidados com a saúde, pode abrir um processo trabalhista contra o seu negócio.

Ou seja, não realizar a análise ergonômica gera mais prejuízos à sua empresa do que se ele é realizado com certa periodicidade. É um tipo de prevenção muito necessária.

Análise Ergonômica do Trabalho (AET): O que é e pra que serve? 1

Já é possível prevenir-se pouco a pouco, pois existem diversos auxílios que seus colaboradores podem usar para se sentirem mais confortáveis durante o dia de trabalho, como um suporte para tela ou suporte para notebook, que garantem menos dores nos olhos, pescoço e nos ombros.

Estando dentro da lei, as preocupações ficam muito menores:

Qualquer tipo de empreendedor que possua, no mínimo, um profissional contratado precisa realizar a análise ergonômica do trabalho, buscando seguir todas as recomendações necessárias para que o ambiente de trabalho esteja dentro da lei.

A NR17 contém informações importantes com o objetivo de orientar quanto a situações como descarga de materiais, mobiliário, equipamentos, transporte e condições ambientais. Desta forma, a norma tem como finalidade definir os parâmetros necessários para oferecer um espaço de trabalho dentro dos padrões necessários.

Agregar a devida importância a essa avaliação faz com que você seja capaz de oferecer um ambiente laboral apropriado para a sua equipe. Como consequência, a probabilidade de sofrer processos judiciais e trabalhistas torna-se bem menor.

Análise Ergonômica do Trabalho (AET): O que é e pra que serve? 2

Empresas preparadas também costumam fornecer aos seus funcionários um apoio para os braços, que reduz a compressão dos braços contra a quina da mesa. Este produto ergonômico é muito útil em mesas com espaço reduzido, permitindo apoiar o braço 100% em uma superfície plana, como deve ser. No caso de fábricas, um tapete antifadiga reduz o impacto nas articulações, diminui a fadiga e aumenta o conforto do usuário.

Quem deve realizar a análise ergonômica do trabalho?

Os profissionais mais aptos, de modo geral, a realizarem a análise ergonômica do trabalho (AET) são os médicos ou fisioterapeutas do trabalho. O principal objetivo deles é criar estratégias para prevenir e combater as doenças ocupacionais, de acordo com as leis em vigência, atendo-se às normas regulamentadoras.

Uma AET ajuda a reduzir custos!

Análise Ergonômica do Trabalho (AET): O que é e pra que serve? 3

Este é o benefício que todo gestor deseja. A análise ergonômica do trabalho oferece diversas vantagens ao empreendimento, permitindo que você obtenha retornos mais positivos nos seus lucros:

  • Aumenta a produtividade e o engajamento dos colaboradores;
  • Fornece um fluxo mais tranquilo para os setores;
  • Evita autuações e multas e também diminui as faltas de colaboradores;
  • Eleva a sua credibilidade perante o mercado e seus colaboradores.

Agora que sabemos que a obrigatoriedade não é difícil de cumprir e traz tantas vantagens ao seu negócio, é hora de buscar um profissional que possa auxiliar sua empresa na análise ergonômica do trabalho e fornecer aos seus colaboradores – e a você mesmo – um ambiente profissional mais confortável, apropriado e lucrativo!


Compartilhe este conteúdo:

Comentários1

Adicionar seu comentário

Equipe Especializada

Suporte especializado em Ergonomia - Dúvidas? Fale conosco aqui

Faturamento para Empresas

Faturamento e boleto à prazo para CNPJ

eSocial - adequação

Mix de produtos ideal para adequar-se ao eSocial - Dúvidas sobre sua adequação? Fale conosco